terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Saúde na Terceira Idade

Um livro que estou a ler, com propostas de excelentes exercícios para a terceira idade e que são baseados no Ioga. Promovem a conciencialização e valorização corporal, numa visão holística do ser humano. E como o autor refere..."vamos desenvelhecer"...

A evolução da Distrofia Muscular

video

Distrofia Muscular Progressiva (DMP)

A Distrofia Muscular Progressiva é uma doença de carácter hereditário, sendo a sua principal característica a degeneração da membrana que envolve a célula muscular, causando consequentemente a morte das células. Assim, e devido a esta alteração genética, os músculos não se contraem e não relaxam normalmente, provocando fraqueza muscular no sujeito.
Até ao presente momento tem-se o conhecimento de mais de trinta tipos diferentes de DMPs, algumas mais benignas e outras mais graves, que podem atingir crianças e adultos de ambos os sexos. Os vários tipos de distrofia muscular são classificados de acordo com o mecanismo genético, os principais músculos afectados, a gravidade dos sintomas, a idade em que aparecem os primeiros sinais e a velocidade de progressão da doença nos músculos.
As distrofias musculares mais frequentes são a distrofia muscular de Duchenne e a distrofia muscular de Becker.
Os principais problemas apresentados por indivíduos com DMP são:
- Fraqueza muscular
- Deformidades Osteoarticulares
- Problemas respiratórios
- Alterações de sensibilidade
- Alterações cardiovasculares

Por sua vez, os primeiros sintomas da doença são as quedas frequentes, a marcha oscilante e em bicos de pés e a dificuldade para correr e subir escadas. Geralmente, manifestam-se por volta dos três a cinco anos de idade.

Actividade Física
Os exercícios físicos adequados podem manter a força muscular por mais tempo e, consequentemente, retardar o surgimento de hipertrofia, encurtamento e contracturas musculares e possíveis deformidades ósseas.
No entanto, a actividade física excessiva pode ser prejudicial ao músculo. Os exercícios devem ser moderados, pois qualquer esforço muscular que cause o mínimo de fadiga contribui para a degradação do tecido muscular e, à medida que os músculos deixam de funcionar devidamente, vão sendo substituídos por gordura. Note-se, ainda, que a criança com DMP cansa-se mais rapidamente.
Os exercícios de estiramento, por sua vez, não devem provocar dor.
Salienta-se que o tratamento não é curativo, mas tem como objectivos principais preservar as capacidades da pessoa, evitar que a doença progrida e, principalmente, melhorar a qualidade de vida.

· Guia para pais com sugestões de exercícios
http://www.distrofiamuscular.net/tratamento.htm



. Cartilha sobre Distrofia Muscular http://usuarios.unisys.com.br/~fmrio/Acadim/CartihaAcadim-29-set-2006.pdf







video

domingo, 11 de dezembro de 2011