quarta-feira, 17 de maio de 2017

Jogo dos Pontinhos

espacial

Estive a adaptar a folha deste jogo, do qual gosto muito.
As crianças adoram o jogo e estimula competências espaciais, a capacidade de manter a atenção e o autocontrolo (pensar antes de agir). Aproveitem!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Mapa de Portugal

Nas sessões de Psicomotricidade com idosos, hoje foi dia de falarmos dos distritos de Portugal. Cada pessoa do grupo escreveu num papelinho o seu nome e colámos no distrito de onde é natural. Fez sucesso o nosso mapa!

Psiocomotricidade

domingo, 20 de novembro de 2016

Materiais reciclados - Estimulação da coordenação óculo-manual

Aproveitei as latas de leite do meu bebé e fiz estas caixinhas para estimular e desenvolver a coordenação óculo-manual dos idosos com quem trabalho, sendo uma forma também de se manterem mais ativos.
É possível, ainda, fazer alguma estimulação cognitiva através das diferentes cores das tampinhas e das palhinhas. Aproveitem a ideia, pois é muito fácil para os idosos e eles aderem muito bem a este tipo de atividades!

lata leite bebé

reciclagem

reciclados

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Provérbios para cada mês do ano

,           Nas minhas sessões de psicomotricidade com idosos utilizo muitas vezes provérbios que lhes peço para completarem. E na primeira sessão de cada mês, falamos sempre sobre o que caracteriza o mês que se inicia e utilizo os provérbios desse mesmo mês para completarem e para falarmos sobre a época em que estamos. Desta forma estamos a promover a memória e a orientação temporal, para além de ser um momento de diálogo muito interessante!           
                 Aqui fica um conjunto de provérbios que seleccionei para utilizar nas sessões.



Provérbios de janeiro


  • Não há luar como o de janeiro nem amor como o primeiro. 
  • Janeiro fora, crescem os dias uma hora e, quem bem contar, hora e meia há-de achar.
  • Janeiro frio e molhado enche a tulha e farta o gado.
  • Janeiro quente, traz o Diabo no ventre.
  • Em janeiro, sobe ao outeiro. Se vires verdejar, põe-te a chorar; se vires terrear, põe-te a cantar.
  • Janeiro molhado não é bom para o pão, mas é bom para o gado.
  • Em janeiro, sete casacos e um sombreiro.
  • Em janeiro, seca a ovelha no fumeiro.
  • Trovão em janeiro: nem bom prado nem bom palheiro. 
  • Se o janeiro não tiver trinta e uma geadas, tem de as pedir emprestadas.
  • Luar de janeiro não tem parceiro, mas o de agosto dá-lhe no rosto. 
  • Calças brancas em janeiro, sinal de pouco dinheiro. 
  • Vinho verde em janeiro é mortalha no palheiro.
  • Quando em janeiro a lua vaza, corta madeira para tua casa.
  • Bons dias em janeiro enganam os homens em fevereiro. 
  • Comer laranjas em janeiro é dar que fazer ao coveiro.
  • Da flor de janeiro, ninguém enche o celeiro.
  • Dezembro com junho ao desafio, traz janeiro frio.
  • Em janeiro, cada ovelha com seu cordeiro. 
  • Em janeiro, sete capelos e um sombreiro.
  • Janeiro geoso e fevereiro chuvoso fazem o ano formoso.
  • O mês de agosto será gaiteiro, se for bonito o 1º de Janeiro.
  • Pintainho de Janeiro, vai com a mãe ao poleiro.
  • Quem em janeiro lavrar, tem sete pães para o jantar.
  • Sapato branco em janeiro é sinal de pouco dinheiro.
  • Verdura de janeiro, não vai a palheiro.
  • Cava fundo em novembro para plantares em janeiro.
  • Ao luar de janeiro se conta o dinheiro.
  • A água de janeiro vale dinheiro.



Provérbios de fevereiro



  • Fevereiro: rego cheio.
  • Fevereiro enxuto rói mais que todos os ratos do mundo.
  • Quando não chove em fevereiro, nem bom prado nem bom celeiro.
  • Água de fevereiro enche o celeiro.
  • Em fevereiro, chuva; em agosto, uva.
  • Ao fevereiro e ao rapaz perdoa tudo o que faz, se o fevereiro não for secalhão e o rapaz não for ladrão. 
  • Quem andar a gosto, não sai de casa em fevereiro.
  • Fevereiro quente não vejas tu nem o teu parente.
  • Aproveite fevereiro quem folgou em Janeiro. 
  • Neve em fevereiro, presságio de mau celeiro.
  • Tantos dias de geada terá maio, quantos de nevoeiro teve fevereiro.
  • Em fevereiro: no primeiro jejuarás; no segundo guardarás; no terceiro, dia de S. Brás.
  • Lá vem fevereiro, que leva a ovelha e o carneiro.



Provérbios de março


  • Março, marçagão, manhãs de inverno e tardes de verão.
  • Mal vai março se não chove em cada dia seu pedaço.
  • Enxame de março apanha-o no regaço.
  • Março zangado é pior que o diabo.
  • Em março, tanto durmo como faço.
  • Nasce a erva em março, ainda que lhe deem com o maço.
  • Sol de março queima a dama no paço.
  • Em março, chove cada dia um pedaço. 
  • O grão, em março, nem na terra nem no saco.
  • Março amoroso faz o ano formoso.
  • Se ouvires trovejar em março, semeia no alto e no baixo.
  • Se queres um bom cabaço, semeia-o em março.
  • Secura de março, ano de vinho.
  • No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto.
  • Quem poda em março vindima no regaço.
  • Quando vem março ventoso, abril sai chuvoso.



Provérbios de abril


  • Em abril, águas mil.
  • Em abril, águas mil, coadas por um mandil.
  • A água que no verão há-de regar em abril e maio há-de ficar.
  • Abril molhado, ano abastado.
  • Se não chove em abril, perde o lavrador couro e quadril.
  • Abril frio e molhado enche o celeiro e farta o gado.
  • Abril, tempo de cuco, de manhã molhado e à tarde enxuto.
  •  Abril molhado, sete vezes trovejado.
  •  Abril chuvoso, maio ventoso e junho amoroso, fazem um ano formoso.
  • Uma água de maio e três de abril valem por mil.
  • Tarde acordou quem em abril podou.
  • Vinha que rebenta em abril, dá pouco vinho para o barril.
  • No princípio ou no fim, abril é ruim.
  • O grão em abril, nem por semear nem nascido.
  • Quando vem março ventoso, abril sai chuvoso.



Provérbios de maio



  • Mês de maio, mês das flores, mês de Maria, mês dos amores.
  • Maio frio e junho quente: bom pão, vinho valente.
  • Maio ventoso faz o ano formoso.
  • Maio hortelão: muita palha e pouco grão.
  • Maio pardo e ventoso faz o ano farto e formoso.
  • Fraco é o maio se o boi não bebe na pegada.
  • Em maio, comem-se as cerejas ao borralho.
  • Tantos dias de geada terá maio, quantos de nevoeiro teve fevereiro.
  • Uma água de maio e três de abril valem por mil.
  • Em maio canta o gaio.
  • Quem em maio relva, nem tem pão nem tem erva.
  • Em casa vazia, maio depressa se avia.
  • As favas, maio as dá e maio as leva.
  • Maio me molhou, maio me enxugou.
  • Quando maio chegar, quem não arou tem de arar.



Provérbios de junho



  • Em junho abafadiço fica a abelha no cortiço.
  • Junho calmoso: ano formoso.
  • Junho floreiro: paraíso verdadeiro.
  • Sol de junho amadura tudo.
  • Chuva de junho: peçonha do mundo
  • Junho chuvoso: ano perigoso.
  • Em junho, foice no punho.
  • Maio frio e junho quente: bom pão, vinho valente.
  • Junho quente, Junho ardente.
  • Chovam trinta maios e não chova em junho.
  • Quem em junho não descansa, enche a bolsa e farta a pança.




Provérbios de julho



  • Por muito que julho queira ser, pouco há-de chover.
  • Julho abafadiço: abelhas no cortiço.
  • Julho quente, seco e ventoso: trabalha sem repouso.
  • Em julho, ceifa o trigo e faz o debulho. E, em o vento soprando, vai-o limpando. 
  • Não há maior amigo do que julho com o seu trigo.
  • Em julho, reina o gorgulho. 
  • Em julho tudo farás, só o teu verde não ceifarás.
  • Julho sem pulgas no cão, vento norte e muito frio é sinal de pouco pão.
  • Água de julho no rio não faz barulho.
  • Julho claro como olho de gado.
  • Nevoeiro de S. Pedro põe em julho o vinho a medo.
  • Quem em julho ara e fia, Ouro cria.




Provérbios de agosto



  • Seja o ano que for, agosto quer calor.
  • Agosto nos farta, agosto nos mata.
  • Quem em agosto ara, riqueza prepara.
  • Quem não debulha em agosto debulha com mau gosto.
  • Chuva em agosto: açafrão, mel e mosto.
  • Agosto amadurece, setembro vindimece.
  • Agosto tem culpa se setembro leva a fruta.
  • Em agosto, toda a fruta tem gosto.
  • Se queres o teu homem morto, dá-lhe couves em agosto.
  • Em agosto, ardem os montes; em setembro, secam as fontes.
  • Primeiro de agosto, primeiro de Inverno.
  • Em agosto, sardinhas e mosto.
  • Névoas de agosto, nem bom nabo, nem bom magusto.
  • Trovoadas em agosto, melhora o mosto.
  • Em agosto, nem vinho nem mosto.
  • Em fevereiro, chuva; em agosto, uva.
  • Não é bom o mosto colhido em agosto.
  • O mês de agosto será gaiteiro, se for bonito o 1º de Janeiro.




Provérbios de setembro



  • Setembro: mês dos figos e cara de poucos amigos.
  • Setembro molhado: figo estragado.
  • No pó, semearás; em setembro colherás.
  • Em setembro, ardem os montes e secam as fontes.
  • Em setembro, andando e comendo.
  • Se em setembro a cigarra cantar, não compres trigo para guardar.
  • Em setembro, cara de poucos amigos e manhã de figos.
  • Em tempo de figos não há amigos.
  • Vindima molhada, pipa depressa despejada.
  • Em setembro planta, colhe e cava que é mês para tudo.
  • Nuvens em setembro: chuva em novembro e neve em dezembro.




Provérbios de outubro



  • Outubro quente traz o diabo no ventre.
  • Logo que outubro venha, prepara a lenha.
  • Outubro suão: negaças de verão.
  • Outubro meio chuvoso faz o lavrador venturoso.
  • Em outubro, sê prudente: guarda pão e semente.
  • Se em outubro te sentires gelado, lembra-te do gado.
  • Em outubro, o lume já é amigo.
  • Em outubro não fies só lã; recolhe o teu milho e o teu feijão, senão de inverno tens a tua barriga em vão.
  • Em outubro meu trigo cubro.




Provérbios de novembro



  • Em novembro, põe tudo a secar, que pode o sol não voltar.
  • Nuvens em setembro: chuva em novembro e neve em dezembro.
  • Em novembro, prova o vinho e semeia o cebolinho.
  • Cava em novembro e planta em janeiro.




Provérbios de dezembro



  • Em dezembro, treme de frio cada membro.
  • Em dezembro, descansar, para em janeiro trabalhar.
  • Nuvens em setembro: chuva em novembro e neve em dezembro.
  • Ande o frio onde andar, no Natal cá vem parar.
  • Se queres um bom alhal, planta-o no mês do Natal.
  • Quem colhe azeitona antes do Natal, deixa metade no olival.
  • Mal vai a Portugal se não há três cheias antes do Natal.
  • Nem em agosto caminhar, nem em dezembro marear.
  • Depois que o menino nasceu, tudo cresceu.
  • Noite de Natal estrelada dá alegria ao rico e promete fartura ao pobre.
















segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Um Amigo é um Bem

Um amigo é um bem, um tesouro que se tem, 
sois vós, luz de estrelas, que me guiam mais além. 
São momentos bons e maus, nesta estrada percorrida, 
digo mais, não vos trocava por nada desta vida. 

E talvez um dia, chegue a hora do adeus, 
deixar-vos-ei com pena, amigos meus, 
mas mesmo longe, vós estais perto, 
ao pé de mim, pois entre amigos é assim. 

Um amigo é um irmão, nosso pensar, nossa mão. 
Meus amigos estais aqui, p'ra vós canto esta canção. 
O tempo voa, nestes instantes, e já estamos de partida, 
digo mais, não vos trocava por nada desta vida.

António Talefe

https://www.youtube.com/watch?v=xVc1zR1CSOc&index=2&list=RDT62p508ag8U

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

As Primeiras Sopinhas do Meu Bebé

Adorava ter tido a oportunidade de dar mamar ao meu pequenote até aos 6 meses em exclusivo e em horário livre, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde. No entanto, fui perdendo o meu leite e, agora, que está quase a fazer os 4 meses, já não tenho mesmo nada. Como estou a dar suplemento, e por indicação da médica e enfermeira, poderei começar a introduzir as primeiras sopinhas ou papas de legumes. As papas adocicadas não me foram aconselhadas por o meu bebé estar neste momento com peso acima do esperado para a sua idade.


bebé


Assim sendo, vou começar por substituir uma refeição de leite - o almoço - por uma sopinha. 

A primeira sopa deverá ter batata, cenoura e um legume verde. A cada 4-5 dias deve-se introduzir um legume novo dentro daqueles que podem ser oferecidos ao bebé. A sopa deve ser confeccionada diariamente ou de 2 em 2 dias, sendo conservada no frigorífico. Não se adiciona sal, mas coloca-se uma colher de chá de azeite na sopa depois de cozida.

Para me ajudar na organização e planeamento da semana fiz a seguinte tabela:

sopinha tabela




quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Ser mãe


maternidade

          Agradeço muito ter nascido no meio em que nasci, numa família que me amou e que me ama, ter frequentado escolas que me fizeram amadurecer, ter tido professores que marcaram as minhas escolhas, ter tido amigas e amigos que foram e são verdadeiros camaradas e outros que não sendo tão amigos me fizeram refletir sobre os diferentes caminhos que poderemos seguir na nossa vida. Agradeço também ter um marido que está sempre do meu lado, que me apoia e me ama. E estou a agradecer tudo isto pois foram importantes fatores a contribuir para a fantástica oportunidade de ter tido uma gravidez planeada e muitíssimo desejada.
          Assim tive a oportunidade de viver cada momento com uma intensidade muito especial. Mesmo antes de estar grávida já sentia algo de diferente em mim…E quando estava grávida e não sabia, havia já um brilho no olhar, que as minhas amigas mais perspicazes detetaram com sendo a sementinha a germinar no meu ventre. E eu sentia que já não estava só e uma estranha intuição me dizia que era um menino. É mesmo mágico…
Considero que já era mãe ainda antes de o ser…quando decidi, junto com o meu marido, que iríamos começar a tentar. Pois foi aí que começou a nascer este amor por este pequenino ser.
          E ser mãe é isto mesmo: é amar, amar, amar. Um amor incondicional e que cresce a cada dia e infinitamente. Uma vontade enorme de cuidar deste pequenino e indefeso Ser, de darmos o nosso melhor, de acariciar, beijar…É vibrar a cada nova aprendizagem: o primeiro choro, o primeiro sorriso, o primeiro beicinho…é chorar quando o vemos em aflição com cólicas ou com reações febris às vacinas, desejando que sejamos nós mesmas a passar por isso e não o nosso bebé. É não acordar com o bater da porta, o cão a ladrar ou os trovões, mas despertar imediatamente assim que o nosso bebé se mexe na sua caminha. É colocar o nosso bebé e o seu bem-estar em primeiro lugar…

Enfim, todas as palavras seriam poucas para descrever o que é ser mãe…e tudo o que posso dizer é que ADORO SER MAMÃ e que agradeço profundamente poder vivenciar a maternidade na sua plenitude!