domingo, 26 de dezembro de 2010

Alegre ou Triste




Se sou alegre ou sou triste?...
Francamente, não o sei.
A tristeza em que consiste?
Da alegria o que farei?

Não sou alegre nem triste.
Verdade, não sou o que sou.
Sou qualquer alma que existe
E sente o que Deus fadou.

Afinal, alegre ou triste?
Pensar nunca tem bom fim...
Minha tristeza consiste
Em não saber bem de mim...
Mas a alegria é assim...
(Fernando Pessoa)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

História Antiga



Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.


(Miguel Torga)

domingo, 12 de dezembro de 2010

Corpo Esquecido


Recordo...
A harmonia dos meus passos ao dançar,
Os meus dedos entre as linhas agilmente entrelaçados
A minha voz que docemente te embalava
E a pele do meu corpo...da minha face...
que tu ansiavas por acariciar...por beijar...

Agora...
Nada disto parece verdade...já não sei quem sou...
Não me encontro neste corpo estranho, frágil, doloroso...
...incapaz e sem sentido
A imagem que se reflecte no espelho não é a minha...
Preciso de sentir que ainda existo...Preciso de ti....
Peço-te, então, uma abraço...mas recusas!
Peço-te um beijo, que não tens tempo de dar...
Até o teu olhar se afasta do meu rosto enrugado e feio

Quem serei eu neste corpo esquecido?
Um corpo que todos tocam, sem tocar de verdade...
ausente de afecto...ausente de vontade

Tento, então, chegar a ti...tocar-te e sentir-me em ti...
Mas, tropeço...Caio...Perco-me em tamanha dor
Choro...Grito NÃO! Mas nada...ninguém...
Não me reconheço neste novo ser...
O que se passa? O que está a acontecer?
Estarei eu a morrer?!!


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Benção das Fitas 2008


Daquelas boas recordações...Com uma festinha para recordar a benção das fitas das duas primas...a Patrícia em Gestão e eu em Reabilitação Psicomotora. O símbolo é da Casa da Praia, onde fiz um estágio inesquecível...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Gerontopsicomotricidade

"Nos olhos dos jovens há claridade, nos dos velhos luz" Jouvert




A Psicomotricidade é uma ciência que estuda e investiga as relações e as influências recíprocas e sistémicas entre o psiquismo e a motricidade. Ao basear-se numa visão holística do ser humano, encara de forma integrada as funções cognitivas, sócio-emocionais, simbólicas, psicolinguísticas e motoras, promovendo a capacidade de ser e agir num contexto psicossocial. A intervenção em Psicomotricidade actua em todas as fases da vida (do nascimento à velhice) como forma de prevenção/estimulação ou como reabilitação da função inadequada, através de uma mediação corporal e expressiva. Assim, através do movimento e da sua regulação tónico-emocional, permite que o indivíduo reencontre o prazer sensório-motor e possibilita o desenvolvimento dos processos simbólicos.


Pela abordagem sistémica e holística do ser humano que defende, a Psicomotricidade tem-se tornado uma resposta cada vez mais indispensável em situações onde a adaptação está comprometida e onde é indispensável uma compreensão interligada do funcionamento do sujeito nos seus vários domínios comportamentais, desde o motor, passando pelo afectivo, até ao cognitivo.


Na população idosa, em crescimento exponencial no nosso país, verifica-se um declínio psicomotor, com perdas significativas no equilíbrio, na coordenação motora e nos processos cognitivos. O corpo, fragilizado e tido como fonte de dor, é desvalorizado e desinvestido e a imagem corporal encontra-se em constante transformação. A Gerontopsicomotricidade tem, assim, um papel fundamental na redescoberta deste novo corpo e do seu movimento, na recuperação da autonomia, desejo e motivação.


Um programa de estimulação e reabilitação em Gerontopsicomotricidade pretende desenvolver tanto a actividade perceptivo-motora do idoso como a actividade relacional, tendo como objectivos específicos retardar os processos de deterioração psicobiológica associados ao envelhecimento e que impedem a manutenção da independência funcional do idoso e, consequentemente, a sua inserção na comunidade. As metodologias desta área tentam neutralizar ou minimizar:


 Os processos de retrogénese motora;
 A diminuição dos hábitos motores;
 O declínio das habilidades cognitivas;
 A perda de capacidades sensoriais e perceptivas;
 Os problemas emocionais e afectivos.

A intervenção pode, ainda, situar-se em três níveis, nomeadamente:
Primária – Intervenção junto de idosos saudáveis, tem como principal objectivo evitar possíveis patologias resultantes de défices no processo de envelhecimento (ex: ocorrência de quedas por dificuldades no equilíbrio dinâmico), actuando-se numa dimensão integral biopsicossociológica.
Secundária – Intervenção com características reabilitativas, junto de idosos com ligeiros défices cognitivos ou défices na capacidade funcional. Pretende-se manter um bom funcionamento da pessoa, mantendo as capacidades preservadas e estimulando as que estão em fase de deterioração.
Terciária – Ocorre quando a pessoa já tem um diagnóstico estabelecido e são evidentes os défices ao nível cognitivo e funcional. Os principais objectivos são desenvolver estratégias para superar as dificuldades, de forma a retardar os efeitos da deterioração associada à patologia, promover a autonomia na realização de actividades, mantendo a capacidade funcional e melhorando a qualidade de vida.

Este tipo de programas, ao estimularem os factores psicomotores (Tonicidade, Equilibração, Lateralização, Noção do Corpo, Estruturação Espácio-Temporal, Práxia Global e Práxia Fina), juntamente com aspectos cognitivos (memória, atenção, linguagem…) e sócio-emocionais (auto-estima, auto-eficácia…) contribuem fortemente para o desempenho das AVDs (Actividades da Vida Diária) e das AIVDs (Actividades Instrumentais da Vida Diária), promovendo uma melhor Qualidade de Vida.




Bibliografia:

- Pereira, B. (2004). Gerontopsicomotricidade: envelhecer melhor - da quantidade à qualidade. A Psicomotricidade, 4, 88-93.
- Morais, A. (2007). Psicomotricidade e Promoção da Qualidade de Vida em Idosos com Doença de Alzheimer. A Psicomotricidade, 10, 25-33.
- Nuñes, J. & Gonzáles., (2001). Programa de Gerontopsicomotricidad en Ancianos Institucionalizados. In Fonseca, V.; Martins, R. (Eds). Progressos em Psicomotricidade. Lisboa: Edições FMH.
- Fonseca, V. (2001). Gerontopsicomotricidade: Uma Abordagem ao Conceito da Retrogénese Psicomotora. In Fonseca, V.; Martins, R. (Eds). Progressos em Psicomotricidade. Lisboa: Edições FMH.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Alzheimer

Neste meu novo percurso, a trabalhar com pessoas idosas deparo-me com o problema das Demências, nomeadamente a doença de Alzheimer...Não são só as pessoas com a doença que sofrem, mas todas as que a rodeiam (familiares, amigos, cuidadores formais...). Aqui fica um pequeno vídeo que explica como funciona esta doença...

É urgente encontrarmos estratégias para melhorar a qualidade de vida destas pessoas!

Jogo dos Palhaços (Lógica)

Desenvolve conceitos de correspondência termo a termo e de classificação, assim como a atenção e a diferenciação perceptiva.

Jogo de Seriação



Desenvolve a capacidade de observação e de seriação bem como o vocabulário associado a este conceito: maior, médio, menor, pequeno, grande.
Revista Coisas de Criança

Jogo das Palavras



Pretende-se associar as imagens à palavra correspondente, escrita em maiúsculas ou em minúsculas. Desenvolve a consciência fonológica da criança.
Imagens e palavras retiradas da revista Coisas de Criança.

A Tromba do Elefante


Vamos colocar a Tromba no elefante!!
Um jogo divertido em que a criança, de olhos vendados, segue as instruções verbais de uma outra, de modo a passar por determinado percurso. Quando chegar perto do elefante deverá colocar a tromba no local correspondente também seguindo as orientações verbais. É importante que a criança também passe pela função de dar instruções. Pode-se tornar um jogo muito divertido!
Desenvolve a orientação espacial, a lateralidade e, ainda, a capacidade de escutar e de seguir/dar instruções (liderar).

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Lenda de S. Martinho


Martinho era um valente soldado romano que estava a regressar de Itália para a sua terra, algures em França. Estava muito, muito frio, vento e mau tempo enquanto cavalgava e Martinho estava agasalhado normalmente para a época: tinha uma capa vermelha, que os soldados romanos normalmente usavam.
De repente, aparece-lhe um mendigo, vestido com roupas já velhas e rotas e cheio de frio que lhe estendeu a mão à procura de auxílio...Infelizmente, Martinho não tinha nada para lhe dar. Então, pegou na espada, levantou-a e deu um golpe na sua capa. Cortou-a ao meio e deu metade ao pobre.
Nesse momento… as nuvens e o mau tempo desapareceram. Parecia que era Verão! Foi como uma recompensa de Deus a Martinho por ele ter sido bom.
É por isso que todos os anos, nesta altura do ano, mesmo sendo Outono, durante cerca de três dias o tempo fica melhor e mais quente: é o Verão de São Martinho.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Lágrima de Preta

Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

Nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio

António Gedeão




domingo, 10 de outubro de 2010

Vamos Contar 1


Vamos Contar 2











Para associar o número à quantidade...

Vamos Somar!

Sequências (3 imagens)


Sequências (4 imagens)


Método 28 Palavras


Cartões de Acções


Com estes cartões é possível desenvolver a Cognição (associação do objecto à imagem da acção correspondente) e a Linguagem Verbal (descrição da acção..."a menina está a comer a sopa").

Competências Sociais


Memo dos Números



Cartões que permitem desenvolver a noção de número, a associação do número à quantidade e a memória (Revista "Educadores de Infância").

Loto de Frutas


Associação de cada fruta à sua fotografia.

As Joaninhas


Quais são os lápis que precisamos para pintar cada uma das Joaninhas?
Para associar as cores...

Grande e Pequeno (Cartões)




Para desenvolver a noção de GRANDE e PEQUENO.
As imagens dos animais são da Revista "Educadores de Infância" e o fundo dos cartões foi pintado à mão.

As Vogais





Aqui pretende-se que a criança identifique a vogal com que começa o nome do animal. Desenvolve a consciência fonológica.

Os Animais





Pretende-se que a criança associe as imagens iguais e que diga o nome de cada animal.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Crash - No Limite

Até que ponto nos conhecemos? Do que seriamos capazes se fossemos dominados pelo medo, se nos sentissemos inseguros?
Todos nós devíamos ver este EXCELENTE filme que mostra tão bem a Natureza Humana...Os nossos preconceitos, os nossos medos, as nossas inseguranças, as nossas atitudes e as acções que temos... Faz-nos pensar em quem somos e do que seriamos capazes de fazer em determinada situação... E que nunca devemos julgar os outros...
Se calhar não nos conhecemos assim tão bem...


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Bôla de Carnes de Trás-os-Montes







A primeira vez que provei a Bôla de Carne foi numa viagem no 11º ano ao Gerês... Gostei imenso e agora, uns quantos anos mais tarde, fui tentar fazer este pãozinho em forma de bolo e com muitas carninhas lá dentro...Apesar de ainda precisar de algumas modificações nas quantidades dos ingredientes, ficou bastante bom...


Aqui fica a receita, já com algumas modificações...


IGREDIENTES:

- 1kg de massa
- 250g de bife de vaca
- 250g de bife de porco
- 200g de bacon em tirinhas
- 200g de chourição fatiado
- 200g de presunto fatiado
- Alho
- Louro
- Pimentão
- Sal
- 1 gema de ovo
- 1 colher de sopa
PREPARAÇÃO:
Aquecer bem uma frigideira funda e fritar o bacon, sem adicionar gordura, para que fique dourado e perca a gordura que tenha. Escorrer o bacon.
Cortar os bifes às tirinhas e na mesma frigideira e com a gordura do bacon fritar a carne, temperando com pimentão, alho e louro.
Amassar a farinha do pão com um pouco de sal e água e juntar os bifes, o bacon, o chourição e o presunto. Regar com a gordura resultante. Deixar a mistura a levedar.
Colocar a mistura numa forma untada e pincelar com a gema de ovo (mexida com um colher de sopa de água). Levar ao forno pré-aquecido.
Assim que esteja dourado, verificar a massa e retirar do forno. Deixar arrefecer uns minutos e desenformar.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Eu Sei

Hoje acordei e silenciosamente cantava esta música...

Eu Sei...
(Letra & música de Sara Tavares e Ani Fonseca)
(Inspirada no Salmo 139)

Se eu voar sem saber onde vou
Se eu andar sem conhecer quem sou
Se eu falar e a voz soar com a manhã
Eu sei...

Se eu beber dessa luz que apaga
A noite em mim
E se um dia eu disser que já não quero estar aqui
Só Deus sabe o que virá
Só Deus sabe o que será
Não há outro que conhece
Tudo o que acontece em mim

Se a tristeza é mais profunda que a dor
Se este dia já não tem sabor
E no pensar que tudo isto já pensei
Eu sei...

Se eu beber dessa luz que apaga
A noite em mim
E se um dia eu disser que já não quero estar aqui
Na incerteza de saber
O que fazer, o que querer
Mesmo sem nunca pensar
Que um dia o vá expressar
Não há outro que conhece
Tudo o que acontece em mim

Não consegui um pequeno vídeo da música com a Sara Tavares, mas aqui fica um do jovem David Gomes no programa Uma Canção Para Ti...Um momento para recordar...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A lenda da Lagoa das 7 Cidades

E quem se lembra da lenda que explica a razão de uma lagoa ser azul e a outra verde?! Ora, então, aqui fica esta bela (e triste) história...
Há muitos, muitos anos, no Reino das Sete Cidades vivia uma princesa chamada Antília, filha única de um Rei viúvo que era conhecido pelo seu mau feitio. O Rei não gostava que a sua filhinha falasse com ninguém, pelo que a menina ou estava com o pai ou com a ama que a criara desde o nascimento, altura em que a Rainha falecera.

Os anos foram passando e Antília foi crescendo, tornando-se numa linda jovem, capaz de encantar qualquer rapaz do seu reino. Contudo, eram poucos ou nenhuns aqueles que conheciam a princesa, pois o Rei continuava a não a deixar sair do castelo.

Mas Antília não se deixava intimidar pelo pai e todas as tardes, enquanto o pai dormia a sesta, saia pelas traseiras com a ajuda da ama e sem que mais ninguém a visse e ia passear pelos montes e vales próximos.

Numa certa tarde, enquanto passeava pela floresta, a princesa escutou uma bela música, deixando-se guiar por aquele som encantado. Descobriu, então, um jovem pastor a tocar flauta no cimo de um monte.

A Princesa gostou de tal forma da melodia que ficou escondida a ouvir o jovem a tocar flauta, repetindo-o durante semanas até que o pastor a descobriu, um dia, por detrás dos arbustos. Ao vê-la foi amor à primeira vista, e era recíproco, pois ela também estava apaixonada por ele. Continuaram a encontrar-se e passavam as tardes a conversar e a rir, o pastor tocava flauta para a princesa e ela escutáva-o...Ambos se sentiam muito felizes.

Num certo dia, o pastor decidiu pedir a Princesa em casamento. Dirigiu-se ao Castelo e pediu para falar com o Rei. Muito nervoso mas determinado, o pastor fez uma vénia ao Rei e, olhando-o nos olhos, disse:

- Majestade, gosto muito de Antília, sua filha, e gostaria de pedir a sua mão em casamento.
- A mão de minha filha, NUNCA... OUVIS-TE... NUNCA! - disse o Rei aos berros.- Criado, põe este pastor atrevido na rua.
O jovem bem tentou argumentar, mas ele não o deixava falar, e expulsou-o do Castelo.

De seguida, o Rei mandou chamar Antília e proibiu-a de ver o pastor. A pobre Princesa mais não pode fazer do que respeitar a ordem do seu pai e nessa mesma tarde foi ter com o seu amor para lhe dizer que nunca mais se podiam encontrar.
Os jovens choraram toda a tarde abraçados...e as suas lágrimas, de tantas serem, formaram duas lindas lagoas, uma verde da cor dos olhos da princesa e a outra azul da cor dos olhos do pastor.
E ainda hoje estas duas lagoas continuam no Vale das Sete Cidades, na Ilha de São Miguel, lá nos Açores, para avivar a memória de todos quantos por ali passam, e recordar o drama dos dois jovens apaixonados.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Açores...porque 1 imagem vale mais que 1000 palavras

Algar do Carvão - Terceira
É o único vulcão do Mundo que pode ser visitado...

Caldeira Velha - São Miguel





Parque Terra Nostra - São Miguel
A água é bem quente e cheia de ferro...até custa nadar!




Furnas - São Miguel





Ilhéu - São Miguel






Igreja da Nossa Senhora da Paz - São Miguel






Lagoa de Santiago - São Miguel




Piscinas Naturais dos Mosteiros - São Miguel












Lagoa Azul - São Miguel